Black Boots. Um pouco sobre a marca.

“Eu acredito que bota a gente não calça, a gente enfia o pé por inteiro, não pela metade, e ela te abraça.”

Guilherme Horta. Fundador e Sócio-diretor da Black Boots Brasil.
Dediquei meus últimos 25 anos criando, comprando e revendendo botas masculinas. Consegui transformar uma pequena loja de 25m² em uma marca reconhecida nacionalmente, a Black Boots. Minha bebida preferida é uma boa cerveja IPA. Gosto de jazz, música eletrônica e bossa-nova. Nasci em 1961, e passo maior parte dos meus dias no Sul de Minas, pintando o “sete”. Sou um obsessivo colecionador de antiguidades e objetos vintage. No final da tarde tomo chá de louro, e pelas manhãs uma ducha gelada para acordar. Me divirto com a vida, quanto mais simples melhor.
Estudei na UFMG Administração e Economia, trabalhei durante 4 anos numa autarquia do Estado de Minas Gerais, a Metrobel. Fui um dos sócios do Drosophyla, casa noturna que sacudiu a noite belorizontina nos anos 80 e 90, e em 1996 montei a Black Boots.
Na Black Boots sou responsável por todas as áreas, já fiz um pouco de tudo… ou muito de tudo, afinal são algumas décadas de trabalho.

O início
Sempre gostei de botas, uso desde os meus 11 anos de idade. O meu primeiro coturno comprei de um sujeito que serviu o Exército Brasileiro, era assim, não tínhamos acesso direto aos coturnos. Tinha que ter algum contato. Lembro-me até hoje deste coturno: um pé era diferente do outro, e os couros tinham texturas diferentes. Mas isto pouco importava. Depois tive uma bota texana da Samello, de couro e de excelente qualidade. Anos mais tarde, estando numa praia, inusitadamente, no meio de um matagal encontrei um pé de coturno da marinha americana. Andei pelo meio do mato com fé que iria encontrar o outro pé e, dito e feito, achei: um belo exemplar marrom da marinha americana.

E assim fui encontrando-me com as botas, até o dia em que descobri no Sul de Minas, minha terra natal, uma fábrica de botas – a Paraiso Boots- que fazia produtos de altíssima qualidade (Goodyear Welted).   Nesta época eu era dono de um bar, famoso aqui em BH, e que lançou muita gente bacana, ele ainda existe em SP , o Drosophyla.  Vendia botas dentro do bar e aquilo foi se sedimentando, até montar a Black Boots em 1996.

Desde então, nunca mais parei. São muitos anos dedicados às botas. Muito chão de fábrica, milhares de pares de botas masculinas vendidas, muitas amizades e uma história que se traduz nos produtos que oferecemos, não são só botas, é tudo o que vivemos.”Eu acredito que botas a gente não calça, a gente enfia o pé por inteiro, não pela metade, e elas te abraçam.” É essa sensação que eu gosto de compartilhar: as histórias, as viagens e as maluquices que vivemos com nossas botas.

A loja
Em 1996 eu abri a Black Boots, uma loja pequena dentro de uma galeria. Vendia botas, alguns cintos, camisetas… e mais botas!!! Desde o princípio fui desenvolvendo meus produtos, alguns Coturnos, algumas Deserts, Chukkas, botas masculinas de couro.

Primeira loja, 1996. Bota de jacaré legitimo.
Em 1996 a loja ficava dentro de uma pequena galeria na Savassi.
Os expositores de botas eram bem originais, desenhados e produzidos pelo Geraldo Coelho, um designer muito phoda!!!


A loja cresceu, oferecendo as melhores marcas de botas nacionais e estrangeiras. Tornou-se um local de encontro e convivência. A experiência no Drosophyla me ensinou a lidar com as pessoas, e por isto na loja sempre há cerveja, café, boa música, cadeiras confortáveis, tudo para criar um ambiente onde os clientes se sintam em casa, sempre inovando através da promoção de shows, lançamentos, apresentações e feiras, com o intuito dos clientes interagirem. Começamos com uma pequena loja de 25m2, mudamos para outra de 140, e ainda uma terceira bem grande com 300m2. Atualmente estamos numa Pocket Store de apenas 40m2. 

1998. Rua Fernandes Tourinho 99.

O conceito mudou. A loja física tem que estar apenas onde é interessante, e com custo adequado, foi-se o tempo de lojas grandes. Hoje a nossa loja é on line, e é com ela que estamos expandindo nossos horizontes. Vendemos para outras lojas do Rio, São Paulo, Curitiba e Belo Horizonte. A ideia é fazer crescer esta parceria em outras cidades de forma orgânica. A Pocket Store é sensacional, com tudo otimizado, em meio às lojas bacanas, cervejarias, cafés, livrarias e a rua.

Nosso brother André conferindo o material…
Nessa poltrona já sentou muita gente bacana…
Nossa vitrine.


Visitar a Black Boots é sempre um programa cheio de novidades. Vivemos neste mundo atual, que pode ser um pouco menos, e ao mesmo tempo, muito maior e melhor para todos.


O produto
Quando eu penso em botas, a primeira coisa é se ela é bonita, se ela tem um design inspirador. Gosto da vira larga em couro, do solado com personalidade, enfim atento a todos os detalhes externos. Em segundo penso no conforto. Uma boa palmilha, um forro com boa textura, uma estrutura que ajude no caminhar. Atualmente temos tecnologia para ter um produto confortável. E por último, a qualidade, a durabilidade. Esse é o meu desafio, fazer uma bota bonita, confortável e que dure.

Nem sempre conseguimos tudo ao mesmo tempo, essa é a minha busca incessante. Isso é a Black Boots. Estou sempre em busca do melhor couro, do melhor solado, do melhor material e principalmente da melhor montadora, afinal nossos produtos são feitos como se fossem carros, as botas são montadas. Erramos?! Sim, várias vezes e por isto eu testo todas as botas antes de aprovar. Pode levar um ano para deixar uma bota do jeito que eu quero, e essa é a minha tarefa. A Black Boots não é a melhor, nem a maior marca de botas, mas é uma marca em que voce pode confiar. 

Durante os últimos 25 anos, sempre respeitando  toda a cadeia produtiva, nunca tivemos um protesto, ação trabalhista, ou ação no Procom.  Ou melhor, tivemos sim, uma vez, por causa de um solado da Merrelll e que foi resolvido pelo distribuidor. Reclamações? Se não as tiver é porque sua Marca não existe.  Temos algumas e para mim é um espaço onde novos clientes podem ver a forma como trabalhamos. Confira no Reclame Aqui. 

Saber o que os nossos clientes pensam e sentem com as nossas botas é muito importante para que possamos dar norte ao nosso trabalho. O resultado são botas de couro desenvolvidas numa construção honesta e possível com nossos parceiros, utilizando materiais nacionais de excelente qualidade, com a consciência que sempre podemos melhorar.

Nosso coturno de 5 fivelas de 1997.



O Valor.
Nossas botas tem um valor super justo, e estamos o tempo todo buscando por preços finais que sejam acessíveis. É certo que para manter um nível de qualidade e usando materiais de alto nível, nem sempre conseguimos ter preços considerados ?baratos?, mas se você levar em conta a qualidade, vai ver que a Black Boots tem um ótimo custo benefício.


A nossa linha Combat Boot veio para dar uma opção mais acessível, botas feitas dentro da mesma estrutura da nossa linha Premium, mas com detalhes e componentes diferenciados na sua construção que deixam a bota com um ótimo custo.

Venha fazer parte da nossa família Black Boots e caminhe diferente, nossas botas são verdadeiras companheiras. O cachorro é o melhor amigo do homem, e a bota sua melhor companheira. Junte tudo isto e vai…  vai mais longe com Black Boots.

Valeu!!! Abs, Guilherme.


Compartilhe nas redes:
Escrito por
Guilherme Horta
Guilherme Horta. Sócio-diretor da Black Boots Brasil. Dediquei os últimos 25 anos criando, comprando e revendendo botas masculinas. Consegui transformar uma pequena loja de 25m2 em uma marca reconhecida nacionalmente, a Black Boots. Minha bebida preferida é uma boa cerveja IPA. Gosto de jazz, musica eletrônica e bossa-nova. Nasci em 1961, e passo maior parte dos meus dias no Sul de Minas, pintando o "sete". Sou um obsessivo colecionador de antiguidades e objetos vintage. No final da tarde tomo chá de louro, e pelas manhãs uma ducha gelada pra acordar. Me divirto com a vida, quanto mais simples melhor.