Cenas Fortes: Bota o Frango Caipira na Panela!!!

Cenas Fortes: Bota o Frango Caipira na Panela!!!

Nem tudo é tão bonito como imaginamos, ou como queremos passar pelas nossas redes sociais. Estamos vivendo um tempo em que só vale tirar fotos lindas, com gente bonita, magra, feliz, rica… Mas a beleza da vida é outra… a beleza está em momentos que vivemos juntos com amigos, momentos que vencemos desafios, medos, que suportamos angústias e caminhamos para frente.

Oque isto tem a ver com botas masculinas de couro? Nada. Ou tudo…  Quero fazer apenas uma reflexão. Pensar junto com você a respeito de algumas coisas malucas que vem na minha cabeça. Eu vou no supermercado e compro um pedaço de carne, um frango congelado, um pé de alface… e estes alimentos serão processados na cozinha… e nem penso muito em como as coisas aconteceram antes… quem matou o boi, quem matou o frango, ou quem plantou as folhas da salada que vou comer. São processos distantes da minha vida, afinal moro num grande centro urbano, não tenho tempo nem para comer, muito menos para ficar pensando em quem matou a galinha…

Faço as minhas botas e o couro é apenas mais um componente do produto… assim como o ilhós, o cadarço, a sola de borracha… o couro é apenas mais um componente!!! Porra, mas tem uma vida, teve um boi, ou uma vaca que perdeu sua vida, e seu couro virou bota. Eu tenho que valorizar este couro, e dar sentido… fazer um produto de qualidade que dure e que tenha serventia. A gente morre e vira nutriente debaixo da terra… todos os seres morrem e o ciclo continua…   Não vou ficar aqui questionando nada. Me alimento com carne, mas posso comer menos, uso couro, mas posso consumir menos e valorizar meus sapatos e botas… e entender que a minha bota um dia foi uma vaquinha ou um boi…   quem sabe um touro…  e isto pode mudar minha relação com os meus sapatos e com as minhas botas de couro. Eu não fumei maconha… te juro!!!! Eu acabei de tomar uma Coca Cola, e pra falar a verdade eu nem sei de onde essa merda vem, como é feita, a receita… e a Coca Cola custa mais barato que dois tomates!!! Olha bem onde estamos chegando… um produto totalmente industrializado que veio de fora do Brasil custa mais barato que um tomate que poderia estar sendo plantado aqui na esquina de casa.

Eu só sei que tenho que refletir mais sobre o que e como venho consumindo. Sinto que preciso a cada dia de menos coisas…  Na minha cabeça uma pessoa pode ter 02 botas, e talvez no máximo 04 pares. Nada contra quem tem mais… ou menos, ou quem nem quer ter uma bota. Quero apenas dar um sentido para o consumo daquilo que venho vendendo nas duas últimas décadas. Quero que o processo de fabricação das botas da Black Boots tenha sentido social… que não sejam apenas produtos que geram lucro… ou que fiquem “bombando” nas redes sociais com fotos incríveis de um mundo que só existe no Instagram.

Num destes finais de semana que passei em Campanha Sul de Minas, levei meu filho para comer um frango caipira feito pelo Gaúcho que trabalha no nosso sítio. Mas comer um frango caipira significa escolher o frango que vai ser morto, que vai passar na faca. Isto já  doi um pouco… mas a vida é assim mesmo. Depois disto temos que depenar o frango… e por ai vai. Tem sangue, tem tripas…. tem tudo que a gente nunca vê. Por sinal a gente só vê os pratos maravilhosos servidos à mesa. Todo mundo faz fotos lindas!!! Mas vamos lá… agora vamos ver como as coisas funcionam de verdade.

Cenas fortes!!! Confere ai as fotos que fiz do frango que foi para a panela. O Gaúcho é hoje o nosso modelo. Ele usa camisetas da Black Boots para trabalhar de verdade, ele usa botas da Black Boots pra cuidar da roça. Work Boot??? Ninguém aqui sabe disto… Uquê???? Orkibut??? 

Bora cair na real… olha o frango ai!!!

Gaúcho depois de depenar o frango.
Foi…
Na geral.
Aí os famosos míudos.
Sabe oque é isto? Se adivinhar ganha um desconto… comenta ai!!!
Na natureza nada se perde… tudo se transforma.
Tá quase pronto…
Com uma pequena e simples faca o serviço é feito.
Da-lhe Tchê!!!
Quando vemos e entendemos o processo, surge, quase que imediatamente, uma angústia…
Engolimos seco. Fica apenas um sentimento de compaixão e respeito.
Almoço servido, simples como na maioria das casas de todos os brasileiros de verdade.
Bom pá Cassete!!!

Bom poder dividir um pouco daquilo que passa na minha cabeça com vcs. Espero que tenha feito algum sentido.

Hora de tomar o café.

Valeu!!! Bom demais….

Guilherme.

Compartilhe nas redes: