O clássico está de volta: conheça a história da bota Chelsea

Por: Larissa Rocha

Essa história começa na Inglaterra durante o século 19 com a necessidade da substituição das botas de cano longo para as de cano curto por sua praticidade e facilidade de uso, então a Chelsea – e também outras botas – foram criadas para atender a demanda, que mais tarde veio a se tornar um clássico do mundo das botas.

Origem 

A bota foi criada pelo sapateiro da rainha Victoria, J. Sparks-Hall, que a projetou em meados do século XVIII para a rainha usar. Sua majestade achou essas botas muito confortáveis, práticas e estilosas – perfeitas para caminhar pelos jardins do palácio. Posteriormente, ela foi reformulada para que pudesse ser usada com mais frequência no dia a dia, adaptando-se ao estilo badalado do homem da época. A sua funcionalidade e praticidade também conquistou os homens da montaria, tornando-a ideal para a prática.

A bota Chelsea – também conhecida como bota beatle, foi inicialmente vendida para homens e mulheres como um sapato de caminhada. Quando vendidos pela primeira vez ao público, eles eram chamados de Botas Ankle Boots Elásticas de J. Sparkes-Hall.

Anúncio da época

A bota se consolidou a partir do século 20, em meados dos anos 50 a 60, quando virou quase uma “melhor amiga” dos jovens artistas e intelectuais que frequentavam teatros, bares e pubs do bairro Chelsea, que é conhecido até hoje como um bairro badalado e charmoso da cidade de Londres, Inglaterra – daí é que vem o nome dessa clássica bota.

Garotos comprando botas Chelsea

Na época, essa galera chegou a ser apelidada de “Chelsea Set”, em referência ao bairro. Eles acabaram virando referência de como se vestir, bem como de lifestyle (estilo de vida) a ser seguido, e claro lá estavam elas – as botas com o elástico na lateral e cano curto – compondo os seus looks, daí vem o marco para que o nome “Chelsea Boots” fosse enfim consolidado. Nos anos 60, o modelo foi parar também nos pés dos Beatles, Rolling Stones, Bob Dylan, e até mesmo dos Stormtroopers em Star Wars. Desde então, elas estão entre os grandes clássicos da moda.

acima: Beatles/Rolling Stones, abaixo: Bob Dylan/ Stormtroopers, todos usando Chelsea Boots

Mas afinal, como é essa tal de Chelsea?

Para os que não sabem como é exatamente uma bota desse tipo, vamos lá, as botas Chelsea são definidas por três importantíssimos detalhes: o primeiro é a sua altura bater no tornozelo, o segundo é sua parte superior construída a partir de duas peças de couro (a frente, a.k.a “vamp”, e as costas, a.k.a. “quartos”) costuradas juntas e o terceiro é que ela geralmente apresenta um pequeno “salto”. A silhueta mais comum apresenta um painel de elástico que une as duas partes. Outras versões apresentam um fechamento com zíper – se essas são ou não tecnicamente chelsea boots ainda está em debate, mas a aparência é a mesma.

Desenho técnico da Chelsea boots

O elemento-chave para qualquer Chelsea como já dizia Keith Richards, guitarrista do Rolling Stones adepto às botas Chelsea, é o formato para receber o dedo do pé. A regra geral para ele é quanto mais afunilado o dedo do pé, mais elegante a bota fica. Mas ainda para a maioria, o ideal parece ser mais ou menos o topo de um ovo: redondo mas não muito redondo – algo também que depende muito do seu estilo e de como quer ornar o tipo de Chelsea a ele.

Outra curiosidade sobre as botas Chelsea, é que elas foram uma das primeiras botas elásticas, usando borracha vulcanizada que se estica para permitir a entrada ou saída dos pés. Este design inovador permite que o usuário deslize em suas botas sem ter que se inclinar para amarrar laços ou tiras de fivela.

Agora aí vai a dica, se você ainda não tem essa bota icônica no seu guarda-roupa, você pode encontra-la aqui no site da Black Boots, em diversas cores e materiais.

Chelsea Black Boots

Moda

A Chelsea entrou com o “pé” na porta no mundo da moda, pois seu design favorece muito a composição de looks com uma certa sutileza e elegância. A bota também ganhou interpretação para o público feminino, de forma moderna as botas ganharam saltos maiores, aplicações e diversificação de cores e materiais. Além disso, as botas intituladas como masculinas, também caem bem em um look despojado feminino – arrisco em dizer que todas são unissex e caem bem de acordo com estilo de quem a usa independente do gênero.

Chelsea boots femininas

O ano de 2019 também foi favorável para a Chelsea, ela foi enquadrada como uma das botas tendências para o ano pelos fashionistas, primeiro por ser super atemporal e também pela praticidade que as pessoas procuram hoje em dia com suas peças. A bota é queridinha dos estilos mais despojados e também dos clássicos, já é indicado como um calçado coringa – não tem erro, orna com praticamente todos os estilos.

Chelsea Black Boots

Nas passarelas das maiores semanas de moda do mundo, a bota também apareceu interpretada nos desfiles da Issey Miyak, Givenchy, Loewe, Tibi e Tod’s para suas coleções de 2019.

acima: Issey Miyak/Givenchy; abaixo: Loewe/Tibi/Tod’s

Já que o assunto é moda, vou deixar abaixo alguns looks para você se inspirar e compor com a sua Chelsea Boots para dar aquele rolê, lembrando que se você ainda não tem uma dessas, pode encontrar aqui no site da Black Boots:

Compartilhe nas redes:
Escrito por
Larissa
Larissa Rocha é fomentadora da cultura streetwear, ativista feminina e estudante de Direito. Ela nasceu em Belo Horizonte e começou a se envolver com o streetwear e a moda através da música e da arte. Além disso, está por trás do Brazilian Apparel, grupo influente do streetwear nacional, e está por trás do Suptalk Br, grupo dedicado à Supreme no Brasil. Com sua ótica e dedicação para promover o streetwear nacional, desenvolveu o projeto “Valorize o Produto Nacional”, que apresenta e da publicidade para marcas brasileiras iniciantes. Hoje é uma das influenciadoras e protagonistas femininas do streetwear nacional, co-fundadora do Double C, um coletivo que se desdobra em plataforma de conteúdo colaborativo e uma produtora, e fundadora da BHStreet, produtora cultural independente.